top of page

contemporary art gallery

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Whatsapp

Fotografias da Exposição

Luisa Cunha Ongoing Landscapes

Luisa Cunha

Ongoing Landscapes

11 DE SETEMBRO - 31 DE DEZEMBRO  2013

Entrevista

Obras

Patrícia Garrido licenciou-se em pintura na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (ESBAL). Participou em inúmeras exposições colectivas das quais se destacam: Mais Tempo, Menos História, Fundação de Serralves, Porto (1996); O Império Contra-Ataca, Galeria ZDB, Lisboa (1998); Squatters, Galeria do CRUARB, Porto (2001). As exposições individuais incluem: T1, Fundação de Serralves, Porto (1998); Móveis ao Cubo, Desenhos ao Acaso, TREM Galeria Municipal de Arte, Faro (2009); Peças Mais ou Menos Recentes, Fundação EDP, Museu Nacional Soares dos Reis e Galeria Fernando Santos, Porto (2013).

Luisa Cunha já expôs o seu trabalho na Bienal de Sydney, Austrália e nas mais prestigiadas fundações e museus, como a Fundação EDP, Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação de Serralves e Culturgest. Em 2021 Luisa Cunha recebeu o Grande Prémio Arte Fundação EDP e foi selecionada para representar Portugal na 34ª Bienal de São Paulo. Sua obra está representada nas melhores coleções de arte contemporânea.

O seu trabalho está presente nas seguintes coleções: Museu do Chiado, Fundação de Serralves, Museu de Arte Contemporânea do Funchal, Fundação EDP, Coleção António Cachola e também a Coleção Banco Privado. Recebeu o Prémio União Latina em 2001. A partir dos princípios da assemblage, da apropriação intervencionada e da construção abstracta, a artista cria objectos que apelam à leitura atenta dos seus próprios processos, surpresa e natureza intrínseca. Isolados ou concebidos para diálogos no espaço, têm a presença e o apelo tátil da escultura, mas também a desenvoltura do desenho e o intrigante desafio de sua referência simbólica latente.

Luisa Cunha nasceu em 1949 em Lisboa. Na base do seu trabalho está uma noção muito clara e emocional da relatividade da própria vida e, consequentemente, das convenções, da diferença significativa entre interior e exterior, do privado e público, e da natureza fragmentária do "não-lugar", do poder, das dimensões do tempo e do lugar, e do discurso. Esta convicção teve origem numa prática que a artista desenvolveu desde muito cedo, tendo sido treinada para observar sem qualquer objectivo em mente, apenas deixando as coisas entrar, num estado de completa receptividade, sem impor fronteiras, e sem julgamentos (tanto quanto possível). Primeiro, encontrando as coisas e depois procurando-as.

Biografia da Artista

Patrícia Garrido graduated in painting at the Escola Superior de Belas-Artes in Lisbon (ESBAL). She has participated in numerous group exhibitions which include: Mais Tempo, Menos História, Serralves Foundation, Porto (1996); O Império Contra-Ataca, Galeria ZDB, Lisbon (1998); Squatters, Galeria do CRUARB, Porto (2001). Solo exhibitions include: T1, Serralves Foundation, Porto (1998); Móveis ao Cubo, Desenhos ao Acaso, TREM Galeria Municipal de Arte, Faro (2009); Peças Mais ou Menos Recentes, EDP Foundation, Museu Nacional Soares dos Reis and Galeria Fernando Santos, Porto (2013).

Luisa Cunha nasceu em 1949 em Lisboa. Na base do seu trabalho está uma noção muito clara e emocional da relatividade da própria vida e, consequentemente, das convenções, da diferença significativa entre interior e exterior, do privado e público, e da natureza fragmentária do "não-lugar", do poder, das dimensões do tempo e do lugar, e do discurso. Esta convicção teve origem numa prática que a artista desenvolveu desde muito cedo, tendo sido treinada para observar sem qualquer objectivo em mente, apenas deixando as coisas entrar, num estado de completa receptividade, sem impor fronteiras, e sem julgamentos (tanto quanto possível). Primeiro, encontrando as coisas e depois procurando-as.

 

Luisa Cunha já expôs o seu trabalho na Bienal de Sydney, Austrália e nas mais prestigiadas fundações e museus, como a Fundação EDP, Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação de Serralves e Culturgest. Em 2021 Luisa Cunha recebeu o Grande Prémio Arte Fundação EDP e foi selecionada para representar Portugal na 34ª Bienal de São Paulo. Sua obra está representada nas melhores coleções de arte contemporânea.

Biografia da Artista

The work is simply the materialization of a gesture and an ordinary, trivial, fleeting, thought that disarms us, that can not support the semantic burden associated with the history of art, and particularly with its iconographic dimension. The museological burden, in other words, that hangs over the world of art.

Sara Antónia Matos, O Material Não Aguenta, Júlio Pomar, Luisa Cunha 

Entrevistas

bottom of page